Uma breve despedida

Gatwick Airport, aircraft landing at dawn, 2002, SB (CGA535)

Oi Gente, tudo bem por aí?
Bom por aqui tem muitas coisas acontecendo!
E é por isso que eu venho aqui anunciar uma breve despedida.
A verdade é que eu não respiro mais “planners” há muito tempo. Na verdade muito antes de virar “moda” eu já não dava tanta atenção a este assunto, pois sempre fui aficionada, mas nunca uma viciada rs, embora ainda seja meu tema preferido, por isso continuei com o blog, o instagram e tudo mais.

Há 3 anos que eu tenho estado em uma constante evolução mental e psicológica, que acabaram mudando meu comportamento, meu discernimento e minhas prioridades.

Não sou muito de falar da minha vida pessoal aqui, mas sempre fui PAS (Pessoas Altamente Sensíveis, há outros artigos a respeito, vale a leitura) embora eu sequer soubesse o que era isso, até que em algum momento da minha vida tive uma depressão profunda que durou aproximadamente 4 anos. Foi difícil de sair e nesse tempo cheguei a tomar algumas decisões ruins. Fiz um tratamento, me apeguei com Deus e meu presente de recuperação foi um casamento maravilhoso com o melhor marido do mundo, e se existem problemas na minha vida, meu marido e meus filhos com certeza não são um deles, fui muito abençoada nesse sentido ♥

No entanto, temos enfrentado situações difíceis, principalmente causados pela situação atual que nosso país se encontra, e estamos tentando encontrar alternativas para driblar isso, e uma delas exige uma grande mudança. E é por isso que eu venho me despedir (for now), pois preciso focar minha energia nisso, eu não sou uma pessoa que sabe separar tempo para as coisas, embora seja adepta do planner e da organização pessoal. Eu consigo ser multitarefa na minha rotina doméstica, mas não consigo envolver na minha rotina, que já é atribulada, um tempo para o virtual. Enquanto eu tiver blog para cuidar, Instagram para alimentar, Grupo para administrar, etc, eu não vou conseguir focar nas coisas que preciso fazer aqui fora.

Diariamente eu recebo mensagens de membros do grupo, e queria mandar um recadinho dizendo que não esqueci de vocês, na verdade nunca esqueci. Desde que eu o criei, meu objetivo era que ele andasse com as próprias pernas, sem que uma pessoa tivesse que controlar o que o bom senso das pessoas deveria fazer sozinho. O resultado talvez seria um grupo mais parado, talvez meio desorganizado, porém tranquilo, porque a ideia não era fazer uma “rave virtual”, senão reunir pessoas com o mesmo interesse, e o objetivo foi alcançado.

Muitas gente já me disse que eu não apareço por lá o suficiente, que eu deveria aparecer mais, mas esse também não era ou é o meu objetivo. Quem já conversou comigo sabe que eu posso ser fofa, divertida, às vezes chata rs, mas sempre fui e AINDA SOU uma pessoa introvertida, dentro e fora da web, eu gosto de sossego, e de poder ficar na minha, não sou de ficar conversando, mesmo que eu tenha tempo livre pra isso. Essa coisa de TER QUE (a obrigação de) aparecer deixa uma introvertida como eu ansiosa, e a ansiedade culmina em cobrança, a cobrança em culpa e a culpa em depressão. Sinto muito mas pra esse buraco (depressão) não volto mais. Então ele (o grupo) vai ter que viver e existir sem mim, até porque deletar dá muito trabalho e demanda muito tempo rs
Tenho certeza que hoje em dia existem outros grupos para o mesmo fim, sinto que minha missão foi cumprida com sucesso e só isso já me deixa muito satisfeita.
Deixo aqui meu beijo e meu abraço, obrigada por me acompanharem, pelas mensagens de carinho e por fazerem meus dias tão especiais

tumblr_o10ljcUEPP1rwfctbo1_500
Provavelmente nos encontremos por aí com meu Facebook pessoal, e quem sabe, após as mudanças serem concluídas, eu não volte com boas notícias?! Espero que sim!

 

Insert fofo de Receitinha Gostosa ♥

insert-A5-guloseima-blogueirascomBcapa

Oi Gente! Tudo bem por aí?!

Hoje eu vim aqui especialmente trazer a vocês meu primeiro post na categoria Blogagem Coletiva! êêê!
Esse é especial porque é do grupo de blogueiras da fofa da Paty Dibona, uma pessoa que eu conheci lá no meu grupo e compartilha comigo o amor por papelaria e planner ♥
O primeiro tema desse mês é “Guloseimas”, e claro que a formigona aqui adorou né? minha especialidade culinária são os doces, e eu não poderia deixar de dividir com vocês uma receita simples e deliciosa que é a mais pedida aqui em casa. Pelo menos uma vez por mês, eu faço e acaba rapidinho!

O link para download em alta resolução está no final da postagem!

Mas não pára por aí! porque eu não vou só compartilhar a receita, eu fiz um insert no tamanho A5 (14,8 x 21cm) para você imprimir, encaixar no seu planner, e surpreender a família ou o mozão com ela! hmmm…

Ela é uma adaptação de um quitute americano muito famoso chamado “Cheesecake”. O Cheesecake americano é uma arte, e fazer a receita original é bem complicadinha! vai muitas coisas que geralmente não dispomos no dia a dia, nem encontramos fácil no mercado. Então eu adaptei para simplificar e não deixa nada a desejar da receita original.

No insert ela está bem resumida, então vou deixar aqui ela de forma mais detalhada, caso vocês tenham alguma duvida ^_^
Vamos lá?!

Cheesecake com geléia (de qualquer sabor)
Para a massa:

  • 1 pacote de bolacha Maisena triturada
  • 1 colher de margarina a temperatura ambiente (é pra dar liga na farofa de bolacha)

 Para o Recheio: 

  • 2 xícaras (chá) de cream cheese (queijo cremoso)
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite
  • 2 ovos

(caso goste mais docinho, acrescente um pouco de açúcar)

Para a Calda:

  • 1 geléia de sua preferência
  • Um pouquinho de água filtrada só para deixar a consistência da geléia um pouco mais liquida.

Preparo:

Antes de começar, pré aqueça o forno em temperatura média (aproximadamente 180 – 200 graus).
Misture com as mãos os ingredientes da massa de biscoito, até você conseguir forrar o fundo da forma com ela e reserve.
Misture o recheio na batedeira ou no liquidificador: o cream cheese, o leite condensado, o creme de leite e os dois ovos.
Despeje na forma e leve ao forno por aproximadamente 30 minutos, ou até ver que a massa cremosa ficou consistente.
Enquanto a torta estiver no forno, você pode preparar a geleia:
Leve ao fogo BAIXO a geléia e acrescente água o quanto baste apenas para que ela fique meio líquida, meio cremosa, para espalhar sobre o cheesecake.

Despeje sobre a torta e leve para gelar de duas a quatro horas.

OBS: pode usar goiabada também, é só colocar no fogo baixo e acrescentar um pouco de água até derreter por completo.
OBS2: Como não fiz nenhum a tempo para essa postagem, essas duas fotos abaixo são de sabores que eu já fiz, olha como fica lindo *-*

Essa foto eu tirei para postar no Insta, o cheesecake está de coadjuvante rsrs, a cobertura desse é de Goiabada ^_^
Esse cheesecake fiz com base de farinha de trigo, porque estava sem biscoitos, mas o recheio é o mesmo, e a cobertura da vez foi de frutas vermelhas.

E essa é a minha receitinha! Para baixar o insert basta clicar aqui

Espero que tenham gostado, e se fizerem, me digam como ficou 🙂
PS: Psiu! Já que vc está aqui, que tal dar uma passadinha nos blogs abaixo pra ver as outras guloseimas que elas postaram?

Jess Alem  | Donna Rita | Cheia de Coisa | Paty Dibona | Deu na telha | Mãe ao cubo

Um beijo e até a próxima!

Dona de casa e sem ânimo, como lidar?

I-like-being-a-housewife

Oi Gente! Tudo bem por aí?!

E hoje sabadão eu finalmente botei os pés pra cima e vim aqui escrever pra mode a gente conversar um pouco 😀

Essa semana resolveu esquentar e minha rinite/sinusite já veio dar o ar da graça e quando ela vem, geralmente não chega sozinha. Traz também o cansaço, o desânimo…
Mas quando a gente é mãe, e do lar, a gente sabe que se sucumbir ao cansaço, a casa fica uma bagunça! e o que parece só uma baguncinha de leve agora, como um pouco de roupa sem passar no sofá, ou aquelas coisas acumuladas no balcão da cozinha, vai juntando e fica impossível de limpar de uma vez só sem sentir que um caminhão atropelou a gente… fora as crianças que brincam ou ficam com fome, e a gente precisa fazer alguma coisa e se depara com a pia cheia de louça que parece se multiplicar. Ô tristeza!

Eu já contei sobre isso aqui, mas quando eu conheci o mundo da organização, os métodos e o planner há mais de 3 anos atrás, eu era mãe, trabalhava fora e fazia faculdade à noite. Precisava muito me organizar!
Mas um ano depois disso, tudo mudou. Eu fui para outra cidade e acabei me tornando do lar, e já nenhum método de organização fazia sentido pra mim, apenas uma coisa ou outra do Flylady, mas no geral… Menos ainda conselhos de “como ser mais produtiva” ou “como acabar com a procrastinação”, até porque a maioria deles vinha de pessoas solteiras, ou sem filhos, e não se encaixavam na minha realidade. E agora? de onde tirar ânimo para limpar a casa, cuidar das crianças, e criatividade para cozinhar todos os dias?!

Com dois filhos pequenos e em outra cidade, eu muitas vezes me sentia sozinha, desanimada, mesmo sabendo que tinha coisas para fazer, pois serviço doméstico é uma coisa que nunca acaba. Daí eu fazia o básico e isso era deprimente! Eu me cobrava por não ter uma casa bonita, limpinha e organizada, com o meu jeito, minha cara. E quando a gente se cobra e está desanimada ao mesmo tempo, é a situação perfeita para a procrastinação tomar conta…
E com ela vem a ansiedade, o stress, talvez as brigas, o mau humor e por aí vai. E eu não queria estar assim, pois eu amo ser dona de casa! só estava sem ânimo.

Apesar de estar nessa vida há dois anos, somente agora de uns três, ou quatro meses para cá eu resolvi mudar alguns hábitos e quero compartilhar aqui com vocês porque estão funcionando e quem sabe alguém se identifique né?

1 – Pare já de se comparar!
Provavelmente você já deve ter visto isso escrito em algum lugar por aí, ou alguém já deve ter dito isso a você. Quando ouvimos isso, automaticamente pensamos em nossa personalidade, mas não. Essa frase se encaixa muito bem no nosso cotidiano e nas coisas que fazemos, como cuidar da casa por exemplo.
Eu vivia me cobrando porque sentia que devia ser tão dedicada como minha mãe, ou a super mãezona perfeita como a blogueira que eu gostava de acompanhar, ou que devia além de cuidar da casa, produzir coisas lindas como aquela menina no grupo que eu fazia parte.

Eu me sentia muito mal por isso. Minha casa vivia bagunçada, meu planner (quando usava) não era bonito,eu não conseguia escrever no blog, e tudo o que eu fazia era reclamar. Foi aí que eu tive um estalo!
Se eu quisesse me encontrar e descobrir como fazer as coisas do meu jeito, eu precisava parar de comparar a minha vida com a dos outros! Parece tão óbvio, mas às vezes nos esquecemos disso. Então não se preocupe se você não alimentou seu filho hoje com aquele molho de tomate caseiro feito com frutos da sua horta, e macarrão artesanal. Ele está feliz? está saudável? isso que importa. Também não se preocupe se você fez uma lista enorme e acabou apenas cumprindo algumas coisas dela, priorize e faça o que achar necessário. Você é única, e sua família também!

2 – Quer ser produtiva? Melhor se desligar da Internet …
É sério. Eu só comecei a colocar a mão na massa quando parei de acessar o Facebook e afins. Eu às vezes passava horas com o dedo no scroll, fazendo minhas funções de admin em grupos ou conversando com alguém no chat, ou mesmo olhando coisas aleatórias. Quando eu olhava para o relógio, o dia tinha passado e eu nem sequer tinha lavado um prato!
A internet pode ser uma boa distração ou fonte de inspiração, mas para quem cuida da casa, a internet atrapalha mais do que ajuda, infelizmente.
Se você for como eu, terá muita dificuldade em “desplugar”, mas se necessário for, tire mesmo o modem da tomada, e pegue firme no que precisa ser feito até acabar. Depois sim, você pode se recompensar com uma boa dose de conteúdo online.

3 – Cuidado com conselhos “coniventes”
Algumas vezes nos deparamos com alguém que adora dar conselhos, e na hora parecem bons, porque nós pensamos: “Puxa, finalmente alguém que concorda comigo!”, mas a longo prazo, aquele conselho pode nos levar a um estado de vitimismo tão grande que a gente acaba se tornando critica demais, problematizando tudo, arrumando briga a toa.
Isso aconteceu comigo, por muito tempo eu me sentia aprisionada dentro das cobranças que eu fazia a mim mesma com relação a casa e principalmente aos meus filhos, e conheci uma pessoa super despojada, que compartilhava comigo o tal “lado B” da maternidade, que eu achava que tinha. Comecei a ouvir aqueles conselhos e quando dei por mim, estava completamente sem paciência com a minha filha caçula, e imputava responsabilidades ao meu filho mais velho que não condiziam com a idade dele, pois apesar de muito inteligente, ele ainda era criança! Tudo porque eu dei ouvidos a certos conselhos e passei a acreditar que eles me sugavam e eu precisava de “tempo pra mim”.
É fato que cada um cria/educa os filhos como achar melhor, mas aqueles conselhos estavam desestabilizando meu lar e meu psicológico. É reconfortante ter alguém que concorde com a gente em algumas coisas, mas muito tapinha nas costas não estavam me fazendo bem. A única saída foi me afastar desses conselhos e “resetar” meu modo de pensar. Se os filhos estão muito dependentes, ou arteiros, é uma fase, e como tudo na vida, vai passar.

4 – Feito é melhor que perfeito
Sei que não está como “deveria” estar, mas não se cobre tanto. Considere cada tarefa feita como uma pequena vitória, é assim mesmo quando se é do lar e ainda mais quando se tem filhos. Um dia a casa estará vazia, silenciosa e impecável, mas agora, o importante é que foi feito. Levantar da cama todos os dias, e dar uma geral “visível aos olhos” pode não ser o ideal para alguém perfeccionista, mas já ajuda um montão!
Um exemplo meu: eu uso na minha casa aquele Sekito 2 em 1 da Bettanin que varre e passa pano ao mesmo tempo. O ruim dele é que os cantos deixam a desejar, por mais que você cutuque, os cantos ficam sujinhos. Mas a neném chora, e o filho chama e eu tive 5 minutos para passar o mop na casa toda! então o único que eu faço é pensar: “que bom, pelo menos quando ela quiser comer coisas do chão, não virão fios de cabelo juntos ;)”

5 – Levante-se da cama em um horário razoável
Como donas de casa temos a liberdade de acordarmos em um horário flexível. Mas é fato que quanto mais tarde, maior a preguiça e eu acredito que seja porque a gente entra em um ciclo vicioso e acaba desregulando a tal melatonina que nosso corpo produz em certos horários, que nos avisa que é hora de acordar ou levantar.
Então resista a tentação de acordar ao meio dia. Eu por exemplo funciono melhor depois das 9 da manhã, não adianta me forçar, nem fazer aquele esquema de “se praticar por 21 dias se torna um hábito”. Não consigo acordar antes e ponto final.
Graças a Deus meus filhos acordam depois das 9 também, então nossa rotina começa aí.
Outra coisa é a hora de dormir. Um dos mandamentos do método “Flylady” é dormir em um horário razoável, que para mim gira em torno das 23:30 e 00:30 da manhã.
Descubra qual é o horário da noite em que você precisa dormir para acordar “cedo” e coloque em prática.
Ao se levantar, lave o rosto com água fria ou tome um banho e troque de roupa. Não fique de pijamas só porque pode ficar, faça o que tem de fazer e lembre-se sempre de parar e se recompensar quando o bebê dormir, ou quando o filho for pra escola.
Eu tenho sempre em casa vinho e chocolates, ou cerveja e salgadinhos pra me “mimar” nos meus momentos de sossego, por tudo o que faço.

Enfim, essas coisas eu tenho seguido, e tem dado certo. Cada pessoa é única, e talvez você possa usar essas dicas do seu jeito e encontrar o equilíbrio.
Apenas lembre-se do principal: Ser dona de casa é difícil, mas é uma tarefa recompensadora e é uma boa maneira de construir memórias com a sua família, eles se lembrarão para sempre de como você deixava sua marca em tudo o que fazia. Eu apesar de tudo, amo ser dona de casa e sentirei muita falta da minha rotina se algum dia que tiver que deixar de ser…

Um grande beijo e até a próxima!

Seminário – Como fazer uma boa apresentação

pitching-the-business

Oi Gente! Tudo bem por aí?!

Ontem eu soube que estava oficialmente de férias! Uhhuul! Acabaram as provas e fechei o semestre apresentando minha pesquisa sobre “Educação Inclusiva”.

Estivemos nessas últimas três semanas continuamente apresentando seminários, e ontem eu fui a última, e obviamente eu estava muito nervosa e ansiosa, e achei que não conseguiria, mas para minha surpresa, segundo o professor a minha apresentação foi a melhor. Fiquei MUITO sem graça, claro.
Ainnn Flávia ta querendo se gabar, é?! – nããão! apenas quero usar isso como gancho para deixar umas dicas de como apesar do nervosismo (lembra que eu sou introvertida?), eu consegui passar tranquilidade para a turma, e não só apresentar, mas também informar. Lembrando que eu estou estudando para ser professora (de artes), então é necessário mesmo demonstrar tranquilidade frente a uma sala de aula.

Sei que se você procurar na web afora, tem muitas dicas sobre como fazer uma boa apresentação em público (apesar de eu nunca ter pesquisado sobre isso especificamente), e eu particularmente sou meio avessa à conselhos de “como ser/fazer alguma coisa” porque creio que cada um tem a sua particularidade, o seu jeito, mas eu sou a favor de transmitir conhecimentos empíricos, e esse mês eu vi com meus próprios olhos como pessoas, adultas, algumas até com filhos, ficam nervosas diante de uma audiência, seja qual for o tamanho, e se eu soubesse, eu teria conversado com elas antes.

Vou contar um segredinho: durante 5 anos da minha vida fui produtora de TV (canal 4 – filiada a Televisa no México entre 2004 e 2009). Engraçado isso, mas era eu que dizia às pessoas em frente a câmera como elas tinham que agir, se posicionar, falar, etc. Eu nunca tinha feito curso nem faculdade, aprendi alguns macetes observando minha irmã mais velha (jornalista) trabalhar com a equipe dela, e acabei levando isso pra vida.

Então que dicas eu poderia dar para apresentar um seminário de forma natural e fluída? Vou deixar 5, que sempre me ajudam. Claro que tem mais, mas essas são as que considero mais importantes.

1 – Separe um tempo, um lugar sossegado e aprenda o tema.
Isso mesmo, não seja aquela pessoa que só lê o trabalho no dia da apresentação, e não apenas leia ou decore, mas APRENDA sobre o que você pretende falar.
Quanto maior o domínio do assunto, maior fluidez e segurança na sua fala. Lembre-se que a faculdade é um ensaio para a vida… quando você se interessa em aprender, tudo na vida fica mais fácil: sua profissão, sua versatilidade em outras áreas de conhecimento, entrevistas de emprego, apresentações na empresa, palestras, pedido de aumento rs

2 – Fale sozinha, ensaie.
Tá doida? não amiga, é sério! não tenha vergonha, e fale sozinha, fale muito sozinha sobre o tema, argumente sobre o assunto com você mesma, como você gostaria de ouvir sobre aquilo que você vai apresentar? dessa forma você estará dominando a arte do improviso.
Porque as vezes quando chegar na hora H, pode ser que você esqueça as palavras que você ensaiou, mas como você seguiu a dica número 1 (aprender), elaborar o tema usando suas palavras será ainda mais fácil.
Ensaie também a postura, seja natural, sem parecer relapsa ou desinteressada (encurvada, sentada, mastigando chiclete, mexendo as mãos, os cabelos…)
Suas mãos devem seguir o movimento das suas palavras, especialmente no final das frases. Não mexa muito como um italiano (capicci?), mas também não seja a amiga da Elaine que não mexe os braços. (Não sabe de quem estou falando? olha aqui 😀)

3 – Leve um papel com os principais pontos do trabalho, resumido porém detalhado, e escrito com as SUAS próprias palavras. 
Isso mesmo, não adianta nada você reproduzir as palavras daquele artigo científico que (às vezes) nem você ou metade da sala sabem direito o que significa.
Use suas palavras, mas óbvio, nada de “nóis vai, nóis vêm”, usar o português correto e seus plurais é obrigatório a essa altura do campeonato, né?!
Faça perguntas, questionamentos retóricos, isso facilita caso seja uma daquelas apresentações onde o professor “força” a classe a te perguntar algo sobre o tema.

4 – Faça Slides Objetivos e Claros.
O Slide enriquece a apresentação, e deixa tudo menos entediante. (Não precisa escrever um textão no slide, ninguém vai ler u_u )
Escreva “tópicos” que guiem a audiência em direção ao tema da sua pesquisa e discorra cada um deles de forma breve e clara. Vou usar o meu como exemplo:


Vejam que eu usei um tema padrão do próprio Power Point, clean, sem nenhum frufru. Como o tema era educação, eu pensei que usar um papel de fundo ia ficar bom. Menos é mais.
A escolha da fonte também é muito importante, essa aí é a Aleo, e é ótima para slides pois é clara e dá boa leitura. Atente-se também ao alinhamento do Título, e de todo o texto. Que seja claro, e bem alinhado/ espaçado.
Eu pontuei 3 tópicos e discorri sobre eles de forma breve e com o máximo de naturalidade possível, respirando e fazendo pequenas pausas (para me acalmar rs)
Se for usar gráficos, artigos, fotos de jornais, vídeos, sempre cite as suas fontes de pesquisa, pois além de dar credibilidade à sua apresentação, a audiência pode querer pesquisar também.

5 – Escolha um ponto NEUTRO para olhar enquanto apresenta.
Nós temos tendência a olhar para algum lugar, enquanto apresentamos, e se percebemos que tem alguém prestando atenção, naturalmente olhamos para aquela pessoa O TEMPO TODO.
Gente, isso pode ser muito incômodo para ela/ele, na medida do possível, não faça isso.


Faça um esforço de olhar um pouco para cada um, para passar confiança, e demonstrar que você fez aquela pesquisa para eles, e não apenas como uma obrigação.
Encontre um ponto neutro, um pouco acima da cabeça deles, por exemplo, em direção a parede, isso ajuda bastante.
Evite também ficar olhando para trás, para os slides. Se o computador/Tablet com a apresentação estiver na sua frente use-o como referência, mas não fique muito tempo olhando para baixo.
Se o computador estiver longe de você, imprima os slides, assim você poderá antecipar o que vem depois.

Bom essas são apenas algumas dicas básicas que eu sigo, para fazer minhas apresentações e sempre renderam elogios e boas notas, espero que ajude você também! ^_^

Beijos e até a próxima!

Escrevendo por escrever e a Saga do CFC

tumblr_m3vyh74rgl1r01fmdo1_500

Oi Gente! Tudo bem por aí?!

Ai aqui tá tudo ótimo, Graças a Deus! Hoje resolvi escrever sem nenhum motivo específico, apenas por saudade de escrever mesmo ♥

Há 1 mês mais ou menos o frio começou pra valer aqui em Foz do Iguaçu. Sempre reclamei que Foz era a maior propaganda enganosa do Sul do país, porque o calor que faz aqui a maior parte do ano é tipo cosplay do inferno: às vezes seco, às vezes úmido e queeeeente!
Mas há um mês que eu tenho sido uma pandinha feliz. Chove, faz friozão, e tem dias tão nublados que parece que já amanheceu 6 da tarde.

Eu moro na frente de uma reserva ambiental, então volta e meia encontros bichos estranhos invadindo meu quintal quando faz calor. Uns besouros coloridos, ou com umas antenas tão grandes que parecem filhotes do capiroto!
Aranhas pretas enormes e ligeiras, as menores geralmente são coloridas. Já vi verde, cinza, marrom, um cinza tão claro, quase transparente!

Já apareceu cobra uma vez, juro! se eu não tivesse tela nas janelas ela teria ido direto para o meu quarto, onde a cabecinha dela estava sondando… Era uma cobra verde do mato, e quase matou a gente de susto!
giphy
Semana passada também comecei a fazer CFC. E vou te dizer uma coisa, mal comecei e já estou sentindo raiva desse sistema todo. Quase 90 pilas pra fazer os exames médico e Psicotécnico, DUAS VEZES! Sim eu reprovei a budega do psicotécnico por causa de uma “palavrinha” dita fora de contexto. Olha só:
Eu até estudei para passar no psicotécnico, porque não gosto de surpresas, mas ignorei completamente o fator pessoal da coisa.
Nessa clínica, quem fazia a entrevista e quem aplicava os testes eram psicólogas diferentes. A primeira, um amor, maquiada, bonita, bem vestida… falava pausadamente e com suavidade na voz, adorei.
A segunda, a que aplicou o teste, já tava toda bagunçada, será que penteou o cabelo de manhã? fica aí a pergunta.
“VÃO FAZER EXATAMENTE O QUE EU MANDAR, NA HORA QUE EU MANDAR!”. Poxa precisa dessa autoritariedade toda? desnecessário…

No primeiro teste, aquele de riscar as plaquinhas, ela falou pra riscar a “sequência de placas iguais”. Ok tia, parece simples.
Mas tinha um problema… as plaquinhas não estavam em sequência. Na verdade não tinha nenhuma sequência. Mas o tempo tinha acabado. Ê laiá!

NEXT! mesmo teste, mesma instrução: “Sequência de placas iguais”. Pera lá, dessa vez eu interrompi.
– “As placas não estão em sequência”, eu disse – você não quis dizer apenas “placas iguais” sem a palavra sequência?  – E ela: “SIM. PLACAS IGUAIS. SEM SEQUÊNCIA. MAIS ALGUMA PERGUNTA SENHORA?” – Nop.

giphyemma

Ai eu na hora já senti o sangue ferver, porque eu sabia que por causa daquela palavrinha ia ter que pagar mais 90 pila pra refazer o teste. Ela tinha que ser tão autoritária?! tenho bloqueio psicológico com gente que fala mais alto, ou que acha que sabe mais.
E depois daquele errinho tosco do primeiro teste, o resto tirei de letra. Só errei 2 no teste de lógica.

Mas no total, lá se foram 180 Temers pra fazer um teste que indica que não sou tão louca assim e posso dirigir. Disfarcei bem né, porque louca eu sou só um pouquinho…

Então agora estou na segunda semana do CFC, aprendendo legislação. Já esqueci quase tudo óbvio, porque meu cérebro tem furinhos de peneira, só retém o grosso husahsushaushuas 😀

E minhas artes? bom semana passada fiz um albumzinho para guardar meus adesivos. Ficou fofo, mas descobri depois que teria que ter feito maior, pois eu achei uma pasta cheia de adesivos perdidos de uns 4 anos atrás… tô preparando um PAP bem legal para colocar aqui ^_^
Tenho uma lista enorme de projetinhos que estou tentando tocar, mas o tempo é tão curto!

No meu planner (tenho usado o Happy Planner), tem semanas que somente escrevo, mas às vezes acordo inspirada e faço um layout completo, aí eu coloco lá no Instagram porque é mais rápido, né? Queria poder postar mais, volta e meia recebo DM´s e Inbox de pessoas dizendo que sentem minha falta, que sentem saudade das dicas, e tal. Meninas o carinho de vocês é latente, nesse mundo virtual sempre vai aparecer várias pessoas legais para admirar, mas sempre tem aquela que guardamos no coração, né?! E eu me sinto privilegiada de ser essa pessoa especial para vocês que me escrevem, ou que me acompanham por aqui.
Eu também sou assim com a Toni do blog A Bowl full of Lemons, sempre falo dela porque foi ela que começou tudo, e sem ela e suas idéias de organização e decoração da primeira Filofax dela, ainda estaríamos usando nossos planners e agendas como meros coadjuvantes que só abríamos quando o celular acabava a bateria…

Também fiquei feliz demais da conta, porque há 15 dias atrás finalmente recebi um pagamento por um “bico” de final de ano que fiz para uma certa loja online que acabou encerrando suas atividades. Demorou 6 meses para chegar, SEIS MESES! OMG! foi um teste de paciência, mas ainda bem que chegou!
Ainda falta receber uma última coisinha, então assim que chegar tudo, eu mostro aqui, porque a lojinha fechou, mas tem outras meninas que vendem… eu vou falar disso em breve!

Ai gente e é isso… adoro esses posts de escrever, parece que estou batendo papo com velhas amigas ♥

A gente se vê na próxima? diz que sim!

Beijos!!

Papeloucas unidas por uma boa causa – Esclerose Múltipla

13256446_659566104190352_4335741958380877383_n

Oi gente!

Tudo bem por aí?! Por aqui tudo ótimo, ainda correndo com as últimas semanas do semestre, esperando as férias chegarem, falta pouco!

Quem me conhece sabe que apesar de adorar planners, papelaria e afins, não sou muito fã de postar por postar. Gosto que tenha significado, propósito, e não apenas pelo mero ato de ostentar, fazer jabá ou brincar de tesourinha do Mickey (lembra? rsrs).
E já tem um tempo que um caso lá no nosso grupo secreto Agendas e Papelaria, se encaixou na minha lista de posts que eu precisava fazer, e eu quero falar um pouco sobre ele.

Não sei se vocês conhecem, mas se não, queria apresentar a vocês a Dani Jacobina. A Dani é uma artesã que trabalha especialmente com encadernação e papelaria personalizada, uma pessoa muito especial e guerreira que descobriu há algum tempo que travaria uma verdadeira batalha para ajudar o maridão a enfrentar o difícil diagnóstico de Esclerose Múltipla.

Não é fácil, talvez ainda esteja longe a esperança de cura. Mas existem tratamentos que podem melhorar, e muito a qualidade de vida de portadores da Esclerose Múltipla.

Porque estou falando sobre isso? Porque a Dani  começou uma campanha na esperança de levar à todas as pessoas algo de conhecimento e vivência do dia a dia do portador de E.M, e o sonho da Dani, é poder ampliar as chances de um tratamento melhor e de qualidade, fora do país. Para isso, ela tem realizado rifas para arrecadar fundos, e posso garantir que o ganhador da rifa não só levará para casa um prêmio e tanto, como vai ajudar numa boa causa, nas palavras da própria Dani:

“Temos uma oportunidade de tentar um tratamento para ele fora do Brasil, e estamos fazendo essas campanhas, rifas e afins para juntar a grana para isso. Essa tentativa tem apenas 1% de chance de dar certo, mas ainda assim achamos que vale a pena tentar.”

E vale né gente?! em tempos de crise, discussões e tantas notícias ruins, nós temos a chance de fazer algo bom, de contribuir para melhorar a vida de alguém que realmente precisa.
O Nathan é uma graça, eu me diverti muito vendo ele falar do planner da Erin Condren, que é o prêmio pra rifa mais recente da Dani, dá uma olhada:

Como vocês viram, é um casal muito especial, e se nota que há muito amor envolvido ♥

Para quem quiser conhecer mais sobre a Dani e o maridão, o Nathan, vocês podem acessar o canal deles no Youtube, a fanpage deles no Facebook, e claro comprar um número da rifa digital desse planner que é a mãe de todos os planners de layout vertical que vocês conhecem por aí!

Incentivo vocês não só a participar dessa rifa, mas ficarem ligados nas redes sociais da Dani, e ajudarem como puderem e compartilharem com os amigos!

Um Beijo, e até a próxima!

Bible Journaling em Português

bible-journaling-post

Oi Gente! Tudo bem por aí?

Hoje eu vim trazer para vocês mais uma arte pra gente aprender e quem sabe, adotar como um dos nossos hobbies: Bible Journaling (a pronuncia é Bái- bou Jornalin, shiu! não ria! :D).
Eu tentei encontrar uma tradução para essa palavra, mas não encontrei nenhuma que fosse tão abrangente quanto o nome em inglês é.

O que é?
Quem costuma ler a Bíblia geralmente gosta de destacar alguns versículos com um marcador, seja porque trouxe consolo, esperança ou direção para algum momento específico da vida. O Bible Journaling funciona da mesma forma, só que um pouco mais, digamos, elaborada.
Basicamente o Bible Journaling consiste em elucidar ou destacar partes de um texto bíblico específico e no que restar da folha, fazer uma ilustração, pintura ou até mesmo colagens para reafirmar o que foi lido e espiritualmente falando, absorvido.

Não se sabe com exatidão onde e quando se originou, porém acredita-se que foi na década de 80 nos Estados Unidos. Embora sempre houve quem fizesse, não foi senão de uns 3 anos para cá, principalmente depois do BOOM dos planners, que voltou com força total, fazendo inclusive, com que algumas empresas criassem uma linha de die cuts (cortes de papel para scrapbook) específico com ilustrações e palavras encorajadoras retiradas de versículos.

Não sou cristã, posso fazer também?
Claro que pode! Bible Journaling não é algo limitado a uma religião. Se você acredita em Deus e na Bíblia, não há nada que te impeça de fazer, tenho certeza que cada vez que você abrir a página que você destacou, Deus vai falar com você novamente e ainda pode servir para te dar, ou levar esperança a alguma amiga triste, que esteja passando por alguma situação dificil.

A versão que os americanos usam é a King James, e alguns modelos de estudo possuem margens largas em branco para anotações, como essa abaixo:


Já ganharam até versão com ilustrações prontas para colorir estilo Johanna Basford, como a Inspire por exemplo:

Aqui no Brasil, ainda não encontrei nenhuma edição em português com ilustrações ou margens largas, mesmo folheando vários modelos disponíveis em lojas e nas Expo Cristãs que fui.
Também já perguntei a editora Mundo Cristão, que na minha opinião é uma das melhores e mais inovadoras editoras cristãs da atualidade, e não obtive resposta.

Mas eu queria muito começar de algum jeito, e como não queria adiar mais (já falei que sou ansiosa?), acabei improvisando com o que tinha em casa.

Para começar separei uma bíblia bem simples que eu não usava. Gosto de ter várias para meus devocionais e estudos, então tenho uma de cada versão, e a VIVA  de capa simples foi a primeira que tive antes de comprar a de capa de couro, então ela acabou ficando sem uso.


Eu havia pesquisado bastante antes de começar para saber o que eu poderia usar, uma vez que as folhas são muito finas. Descobri que o gesso acrílico, aquele que usamos para Scrapbook e pinturas, também serve para “preparar” a folha e não deixar que a tinta vaze e manche a folha seguinte.
Usei este aqui, da Acrilex:


Ele pode ser usado puro ou misturado com um pouco de água. Eu nunca tinha usado ele puro, então quando passei o pincel levei um baita susto e achei que tinha estragado a folha, e que ia ficar enrugada, mas quando secou, ela voltou ao “normal” (tão normal quanto uma folha modificada, o aspecto não será de uma folha virgem, obviamente)

O gesso acrílico puro cobre totalmente a folha, então é importante destacar o versículo antes. Aqui eu misturei com um pouco de água:


Eu obviamente, não pensei nisso no ínicio e acabei passando o pincelão com vontade como vocês podem ver na imagem abaixo, essa foi minha primeira “experiência”, e o jeito foi escrever o versículo que eu deveria ter destacado mimimi. Até que não ficou tão horrível rsrs


Na segunda vez, fui um pouco mais “delicada”, queria muito usar minhas aquarelas. Foi minha primeira experiência com elas, e queria estrear do melhor jeito possível.
Passei uma camada fina de gesso acrílico com água do lado esquerdo da folha e aquarela pura sem preparo do lado direito com o pincel de reservatório da Koi.


Já na terceira folha, decidi usar aquarela pura, sem o gesso acrílico, e no começo tive a impressão de que não iria ficar bom, mas conforme foi secando o trabalho, foi ficando bem bonito.
Dessa vez usei as aquarelas em pastilha da Molin, pincel ponei simples, dois coelhinhos que eu ja tinha recortados aqui e um adesivinho desenhado pela @artbysisi para @Mystickers.com.br

Eu também resolvi treinar caligrafia, e ficou ó: uma bença! #sqn


Na página seguinte eu usei o giz pastel seco que comprei na Daiso com o pincel Koi, e devo dizer que não gostei. Depois de seco ele não mancha a folha seguinte, mas mancha as mãos ao toque.


Minha experiência fazendo devocionais dessa forma tem sido bastante enriquecedora, pois o foco não está no fazer a arte, mas ser inspirado pela Palavra de Deus e deixar a inspiração fluir.
É gostoso poder meditar usando dons e talentos que Deus nos dá. Nem todo dom é natural né, alguns precisam ser treinados hahaha, mas já é um começo!

Muitos outros materiais podem ser usados, já vi quem usasse tinta acrílica, lápis de cor, giz de cera, recortes de scrap, canetas, canetinhas, etc. Depende do que você tiver à mão.

Onde encontro mais sobre isso?
Em inglês tem MUITO material sobre o assunto e a principal fonte de inspiração é o Pinterest, mas você também pode encontrar no site da Rebekah Jones, a primeira a lançar o desafio de 52 semanas sobre o assunto. Também no Illustrated Faith, e nos grupos do Facebook, indico especialmente o da própria Rebekah Jones.

Antes de encerrar este post, gostaria de abrir um parêntesis com relação ao Bible Journaling. Nas minhas pesquisas sobre o assunto, acabei encontrando um blog criticando duramente essa forma de arte, e muitas pessoas concordando. Nos comentários a blogueira americana em questão, apenas permitia os que concordavam com ela, então obviamente o meu não foi aprovado, mas vou escrever aqui mais ou menos o que escrevi lá:
A Bíblia foi inspirada por Deus, mas escrita por homens, usando palavras humanas. Seja a torá, a escrita em latim, a versão protestante de Lutero ou a Freestyle do Ariovaldo Jr, todas tem a mesma missão: levar o homem a conhecer a Deus e a história daqueles dias.

A Bíblia é inspirada por Deus, mas o livro em si não deve ser idolatrado. Ele é fabricado, vendido, comercializado, e tocado por mãos, talvez, tão “imundas” quanto as nossas. Ela não desce do céu embrulhado em um Graal de ouro. É matéria que a traça corrói…

Não devemos jamais colocar o Livro à frente do Autor. O Autor é sempre mais importante que sua obra.

Ela deve ser tratado com zelo? sim, mas nunca deve ocupar o lugar que pertence a Deus no nosso coração. Não sei se me faço entender quando digo isso, e não quero me alongar nesse assunto, pois é bastante complexo, mas não tenha medo de louvar a Deus através de algo criado por ele: a arte.

E é isso, obrigada pela visita e espero ter inspirado você!
Se fizerem alguma página e postarem no Instagram, vamos usar a tag: #BibleJournalBrasil? Assim a gente se encontra por lá ^_^

Beijos !

Coffee Talk – batendo um papinho!

coffee talk

Oi Gente! tudo bem por aí?

Queria pedir desculpas a quem tentou acessar meu blog nas últimas semanas, ele esteve fora do ar, mas já resolvemos os probleminhas técnicos e voltamos para compartilhar e bater aquele papo que a gente tanto gosta.

Hoje estou incluindo uma nova categoria aqui no blog: Coffee Talk, um bate papo com bolo quentinho, onde vou falar coisas sobre a vida, sobre mim, etc e tal, Vamos lá?

Nossa, tanta coisa aconteceu nesses últimos dias!

Comecei semana passada um curso de japonês, em preparação a algo a longo prazo, mais como um plano B que queremos estar preparados caso aconteça (e que provavelmente vai acontecer).
Também comecei a estudar Artes Visuais, minha terceira tentativa de concluir um curso superior!

Desde 2002, quando entrei na faculdade pela primeira vez, que sonho em concluir um curso e me graduar, mas sempre acontecia alguma coisa que me impedia.

Naquela época, tinha saído da escola e ido direto pra faculdade de administração, aquele curso padrão que geralmente quem não tem ideia do que fazer da vida acaba entrando rsrs.
Eu tinha 18 anos e estava estável no meu emprego, onde trabalhava desde os 16, apesar do salário baixo. Quando surgiu a oportunidade de trabalhar como atendente do Serviço ao Consumidor do Hospital São Joaquim, da falecida Samcil, não pensei duas vezes, pedi demissão e comecei no que parecia uma vaga promissora, mas que, infelizmente durou pouco e ao perder o emprego tive que trancar a faculdade.
Em vez de continuar procurando emprego aqui, decidi me mudar para Buenos Aires em  2003 e de lá acabei indo para a cidade do México onde morei até outubro de 2009.

Voltei ao Brasil e em 2012 retomei os estudos e comecei fazendo Rádio e Televisão, que era a área que trabalhei enquanto morei fora, porém conseguir emprego aqui parecia impossível.
Decidi mudar para Publicidade e Propaganda no semestre seguinte e imediatamente depois de mudar de curso, consegui um emprego em uma multinacional, como analista de marketing.
Me casei e passei o ano tentando conciliar a vida de funcionária, mãe, dona de casa, filha, esposa e foi inclusive,  nessa época agitada da minha vida, que conheci a organização através do famigerado “Planner” nos blogs americanos, e decidi abrir o primeiro grupo brasileiro a respeito do assunto, já sabem, o Agendas e Papelaria.

Tudo parecia ir muito bem, até que houve aquela crise geral e tanto eu quanto meu marido perdemos o emprego, e mais uma vez tive que trancar a faculdade!
Passamos um ano difícil, mas Graças a Deus outra oportunidade surgiu, ainda que bem longe da nossa casa em São Paulo, e tivemos que ir de mala e cuia para o oeste do Paraná, e aqui nasceu minha caçula, meu segundo bebê. Foi por esses e outros acontecimento que acabei sumindo um muito pouco das redes sociais, do grupo e do blog. Eles estavam indo muito bem, mas tantas mudanças me fizeram eliminar essa prioridade da minha lista, para que eu me readaptasse a uma vida de dona de casa e mãe 24/7, sem a família por perto.

Hoje vivemos uma vida pacata e simples, porém felizes e tranquilos. Acabei me acostumando a ficar offline, mas volta e meia descubro algo novo e acabo me aventurando nas raras horas vagas que tenho.

Inclusive se você faz parte la do Agendas há algum tempo, deve ter percebido que eu deixei de participar, principalmente pela falta de tempo e pelos motivos mencionados acima e, atualmente, acabei me retirando da administração, para que eu pudesse me dedicar exclusivamente aos estudos e a família. Parece que não mas administrar um grupo é bastante trabalhoso e demanda muito tempo.
Fora os mal entendidos, as discussões, o ódio gratuito de algumas pessoas, isso é realmente desgastante e eu não conseguia encontrar tempo e nem tenho capacidade psicológica para atender essa demanda.

Isso me fez pensar sobre o que eu estava fazendo com meu tempo. As circunstancias da vida me impediram de realizar algumas coisas que desejava, mas eu estava permitindo que meu tempo fosse roubado com coisas que não me acrescentavam ou não contribuíam a longo prazo.
Acredito que devamos sempre colocar numa lista as nossas prioridades, e pensar se estamos nos dedicando a coisas realmente importantes.
Jonathan Edwards nos alertou num texto que você pode encontrar na íntegra aqui, sobre a necessidade de remir o tempo. Remir o tempo nada mais é que priorizar, usar nosso tempo com sabedoria, e é isso que estou tentando fazer.

E é isso! muito bom bater um papo com vocês!
Para nosso próximo encontro aqui quero falar de um novo hobby que concilia três coisas maravilhosas: reflexão, crescimento espiritual e arte.

Beijos ! Ittekimasu!

Kit de viagem para tinta aquarela

latinha-aquarela-pra-viagemcapa

Oi gente! Tudo bem por aí?!

Ai gente me perdoem, sei que estou super atrasada com as postagens!

Minha presença nas redes sociais caíram muito nos últimos tempos, estou devendo tanta coisa, tanto tutorial, freebie, DIY, e postagens lá no meu grupo! mas tudo tem um bom motivo: estou me dedicando muito a manter minha casa em ordem, e com duas crianças, vocês sabem que isso consome muito tempo! fora o tempo que tenho dedicado a eles, com muito amor e apego!
Eu não me dediquei muito ao meu filho mais velho quando ele nasceu, sempre tinha atividades, trabalho e coisas paralelas que não me permitiram curtir a primeira infância dele, por isso estou fazendo isso com a minha Melzinha. To curtindo cada cheirinho, cada risadinha, cada gracinha, cada palavrinha… é minha segunda e última oportunidade de fazer isso , e não quero perder nada nesse processo. Ontem ela aprendeu a falar não, e sei que é errado encorajar, mas a vozinha dela é tão fofa ♥
Ai, ai…mamãe coruja detected!

Bom, mas chega de blá blá blá porque hoje vim trazer para vocês um projetinho super fofo que eu fiz assim que tive um tempinho depois das férias.
A Simony do @artbysisi já tem um tempo que fala muito sobre as aquarelas dela lá no grupo Agendas e Papelaria, e do kitzinho de viagem que ela fez para levar as tintas onde quer que ela fosse. As latinhas dela são pequenas e fofas, mais ou menos do tamanho daquelas balinhas Altoids, sabe?

Então, ela comprou botões para forrar na Daiso, e encheu cada botãozinho com as tintas. Eu fiquei apaixonada quando vi, e obviamente que o bichinho me picou e já fui logo caçar uma latinha para mim. Eu já sabia que não tinha nenhuma, todas as minhas latinhas de Altoids que eu deixei na casa da minha mãe quando me mudei, ela jogou fora #sadpanda.

Como eu estava em São Paulo, aproveitei para ir lá na Liberdade onde é garantido encontrar latinhas fofas (japas adoram coisas de latinha) e fui encontrar minha lindeza lá na Fancy Goods. Já a primeira vista eu tinha gostado dela, porque a estampa é inspirada na designer Cath Kidston, que eu também amo ♥, e para completar o amor, ela tinha dois andares, ou seja, uma eu colocaria as tintas de boa, e encima o pincel! Quer mais amor que isso?

Bom a latinha que comprei, era maior que a latinha de Altoids, então a ideia de colocar botões forráveis de costura só funcionaria se fossem de um tamanho muito específico. Também não deu certo usar blister de chiclete ou comprimidos porque sobrou espaço nas laterais e para uma pessoa perfeccionista como eu não estava bom o suficiente.
Alguns blogs gringos indicam fazer os “buraquinhos” para as tintas de biscuit ou polymer clay, como é o caso desses blogs Aqui e Aqui, mas eu não tinha nada disso à mão e eu não queria perder mais tempo, fora que poderia correr o risco de manchar, mofar… sei la..

O que fazer então? Matuta daqui, matuta dali e voilá, encontrei a solução: forminhas de cola quente!
Eu já tinha um monte de bastões de cola quente que eu não usava nunca mesmo. Eu só precisava agora do molde, e que cada forminha coubesse na latinha de forma a guardar as doze cores primárias da aquarela. (as misturas, por enquanto estão de fora, vou fazer outra latinha pra elas).

Peguei então essa forminha de silicone, que eu uso para fazer docinhos e usei o bumbum dela para o molde. Coloquei uma quantidade generosa de cola quente, para escorrer mesmo, e deixei esfriar.


Depois de fria, eu desenformei e ela ficou assim, parecendo uma coroa:

Daí eu cortei as bordas em formato de tampinha, e posicionei na latinha.

Por si só, as forminhas de silicone já aderem ao metal, mas eu coloquei fita banana pra fixar melhor.

E assim ficou meu bebezinho, latinha fofa de aquarela para viagem!

E é isso, espero que tenham gostado do meu projetinho! ♥

Um beijo e até a próxima!

Minhas Férias

a46d4654-0783-4a80-98e5-1ccf190dae5f

Oi gente! Tudo bem por aí?

O título do post clichê foi proposital. Lembra quando na escola, chegávamos das férias e a professora já mandava a gente fazer aquelas redações e por padrão o título era “Minhas Férias”?

Eu adorava esse tipo de atividade! Sempre contava tudo com riqueza de detalhes por mais simples que fossem. Escrever sempre foi algo natural para mim, e adorava também ouvir as histórias dos meus colegas de classe!

Todos os anos tiro uns dias para descansar e me desligar de tudo que faz parte da minha rotina. Me desligo de tudo mesmo! Redes Sociais, Notebook, Tablet, etc.
Levo apenas o necessário, e lógico minha câmera fotográfica!

Quando não tinha filhos, férias para mim era sinônimo de ficar sem fazer nada. Meus dias se resumiam a ler, comer e dormir. Dormir muito! Na minha época não tinha Netflix, e ir ao cinema era algo raro, então o máximo que eu podia fazer era alugar um filme na locadora do bairro. Pensando bem, a vida era meio monótona nessa época…

Hoje com as crianças as coisas são mais divertidas! Fazer uma viagem com elas é uma verdadeira aventura!

Nossas viagens são sempre de carro, então para minimizar nossas paradas e economizar um dinheiro, sempre faço um check list detalhado dias antes de pegar a estrada. Nosso carro é pequeno, então tudo tem que ser calculado para não faltar nada e ainda viajarmos confortáveis, sem aperto.
Costumo escrever tudo que tenho que fazer, comprar, repôr, levar, etc.

Eu sou adepta da listografia, mas não costumo fazer com outros propósitos que não sejam utilidades ou coisas que preciso lembrar de fazer.
O Check list anda comigo em um caderno normal, e me ajuda a ver se está tudo em ordem para pegar a estrada.

Nosso Itinerário não era extenso, mas o tempo estava apertado. Tínhamos 15 dias para fazer tudo e como eu disse, viajar com crianças não é mais sinônimo de dormir e ficar sem fazer nada, temos que fazer o planejamento incluindo o que faremos com elas, onde comeremos e quanto temos para gastar.

Fomos visitar a batchan (avó em japonês) e comemorar com ela seus 50 anos de profissão, ela é cabeleireira e fez um jantar muito bonito com a presença da família e de amigos.
Ela mora no litoral norte, logo praia era parada obrigatória. Como o marido nasceu lá e conhece todas as praias, ele sabe macetes que nós turistas não sabemos, então manejamos horários e lugares para não pegarmos áreas lotadas e saturadas de gente.


Já na minha mãe, aí sim é descanso de verdade, pois ela se encarrega de cuidar dos netinhos enquanto cumprimos com nosso itinerário que inclui muitas visitas sociais e andanças.
E ainda sobra tempo para a mamãe e o papai aproveitar aquele vale night! ♥

Nosso vale night foi simples, porém tão bom e necessário! Fomos comer em um restaurante bem gostoso, depois pegamos um cineminha e vimos “O Regresso” com o Leonardo diCaprio, e olha… se ele não ganhar o Oscar dessa vez, vou achar que tem marmelada nessas votações da Academia hein!

Dessa vez ao contrário das férias anteriores, não fiquei em casa nenhum dia. Esse ano planejei muitas mudanças naquelas resoluções que fazemos sempre, e uma dessas resoluções era aproveitar melhor as coisas, lugares e pessoas. Visitamos muitos amigos, infelizmente não consegui tempo suficiente para visitar a todos que queria, mesmo aqueles que estavam mais perto, mas vai ficar para a próxima, amigo de verdade não tem distância né? todo dia é dia.

Conheci pessoalmente uma amiga Scrapper que falava com ela online há alguns meses. Gente bonissima!  E também conheci algumas meninas lá do meu grupo do Facebook!
A Natália Bassan, que é a dona da lojinha Mystickers e blogueira como eu, e a Simony Sato que é instablogger no @Artbysisi, onde ela mostra o dia a dia ilustrado no Hobonichi mais fofo que eu já vi!

Pra mim foi um dos melhores dias, foi uma delicia e a gente não parava de falar, parecia que já nos conhecíamos há anos! Pena que agora não moro mais em Sampa meninas, ou esses encontrinhos seriam bem mais frequentes!


A Simony inclusive deu um presentinho pra gente, ela está sempre inventando coisas fofas e fez esse planner charm de polymer clay, não é fofo?!
Fiquei apaixonada! e ela ainda fez customizado pra gente, o da Nat tem as melancias do Kikki K dela, e o meu é dourado por causa do meu Carpe Diem que estou (ainda, omg!) esperando chegar dos EUA .


A Nat me presenteou também, com os adesivos que fizemos na nossa parceria com o Design Team do Agendas e Papelaria, uma brincadeira que acabou virando uma amizade bem gostosa entre 7 meninas ^_^

Eu não levei presentinho pra elas porque estava sem suprimentos, a ideia era justamente ir a 25 de março, repôr meus materiais, fazer e mandar pelo correio, não vejo a hora de colocar a mão na massa e surpreendê-las! Aguardem meninas!

Engraçado que quando morava em São Paulo eu não dava muita bola para bairros como Brás, 25 de março ou Liberdade, e agora que moro bem longe percebi o quanto esses lugares fazem falta!
Fiz minhas visitas obrigatórias a esses lugares e também, claro a Daiso. Um lugar que mudou muito também de dois anos para cá é a Casa do Artista, lá na Republica. Lá fiz algumas comprinhas também, que pretendo mostrar em breve aqui no blog.

Não gastei muito e consegui quase tudo o que queria para organizar minha casinha e ainda me divertir um pouco com meus hobbies.
Se quiserem depois faço uma listinha de onde comprei o que ^_^

Ainda faltam coisas da Daiso aí na foto, pois não coube tudo!

Ai ai… só sei que de todas as férias que já tirei até hoje, essas foram de longe as melhores e mais produtivas! mas não produtivas no sentido de trabalho, né? foi tão enriquecedor conhecer gente nova, visitar velhos amigos, andar e andar… cansaço bom!

E assim, no domingo dia 14, pegamos a estrada de volta para nossa casa em Foz…
Devo dizer que apesar do calor, a paisagem é maravilhosa! olha essa linda foto do por do Sol… aí já estávamos quase em casa, saindo de Cascavel a noitinha…


Dia 15, ploft! caí de bunda na realidade de novo!

Agora, ando arrumando a casa, posicionando em seus devidos lugares as coisinhas que trouxe. Falta ainda organizar as roupas, lavar e passar… Ufa!

Uma delícia né?! Quero mais!

Já já o blog também volta a rotina, tenho tanta coisa pra mostrar pra vocês! Não me deixem, tá?! tava com saudade do nosso cantinho ♥

Um grande beijo, e até a próxima!